Onde dormem os pássaros?


Quando criança, intrigava-me o fato de chegar a noite, não ver e não saber onde dormiam os pássaros. Uma bobagem, poderíamos dizer, à medida em que ficamos adultos. Entretanto, num destes dias de janeiro com muito calor e chuva, acordei durante a noite. Em meio ao silêncio, ouvi de repente o pio de um pássaro. Poderia ser uma coruja ou outro pássaro de hábitos noturnos, não sei. O fato é que a pergunta surgiu novamente e me lembrei dos tempos de criança. Onde dormem os pássaros?

Lembrei-me do Albatroz  –  um poema maravilhoso de Baudelaire,  de Fernão Capelo Gaivota, que li e reli algumas vezes, da pomba de Picasso, dos pelicanos em Paracas no Peru, de muitos outros pássaros que vi e conheci ao longo dos anos. Passei a me lembrar daqueles que, a exemplo dos pássaros, voam e retornam ao chão, mergulham e voltam ao ar. Cantam, piam, ou simplesmente passeiam pelo ar e pela vida. Pessoas que ao longo dos anos, cruzaram meus caminhos e já se foram. Deixaram sua beleza, uma saudade agradável, seu encanto, suas lições, suas marcas. Pessoas, que se puderem e quiserem, voltarão um dia, pois suas vidas e ventos as levaram para outros horizontes. Algumas não voltam mais, estão em outra dimensão, qualquer que seja ela.

Pensei na vida, em como anda agitada. Na pressa do trânsito, no estresse do trabalho, nas loucuras dos outros, por que só os outros tem loucura, eu não. Pensei no dinheiro que ganhei e gastei. Pensei no que perdi e esqueci, no que plantei e no que colhi, nos sonhos que realizei, nos que quero realizar. Aos poucos fui pensando nos compromissos, nas contas para pagar, nas coisas para fazer.

Era tanta coisa que desisti de pensar. Eu queria e voltei a recordar as brincadeiras de infância, as árvores em que subi, os túneis que entrei, os mares e rios em que nadei, o futebol nas tardes depois da aula, os castelos de areia construídos à beira do mar, a primeira vez que vi a neve, de quando aprendi a ler e mostrei aos meus pais com uma tampinha de refrigerante Crush. Lembrei-me de tantas coisas gostosas que merecem ser lembradas.

Lembrei também que um dia, no meio da noite, andei pela mata e vi, ali no alto das árvores, em meio as folhas, o lugar onde os pássaros dormiam.

Às vezes, as perguntas de criança servem para recordar.

Virei de lado e dormi feliz.

Dormi como os pássaros, no meu andar no alto de um prédio, esperando o dia clarear e voltar a pensar.

No caso deles, voar.

Esse post foi publicado em Motivação, Pensamentos e insights e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Onde dormem os pássaros?

  1. arvoredosol disse:

    Muito bem! I enjoyed your post – you are indeed a poet.

    deine bruder,
    ricardo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s